É preciso construir e preservar a obra da vida de cada um. Esse foi o tom de uma palestra promovida pelo Crea-RN, no canteiro de uma obra no bairro do Tirol, em Natal. Duzentos e cinquenta operários da construção civil adiaram por trinta minutos o início da rotina de trabalho para conhecer o papel de cada um na prevenção dos acidentes.

A palestra foi ministrada pelo engenheiro Pedro Rosas, coordenador da Câmara de Segurança do Trabalho do Crea-RN. Ele chamou atenção para os dados do recém-criado Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, o MPT-OIT. No período de 2012 a 2016, foram gastos no Brasil cerca de R$ 20 bilhões com o pagamento de auxílios-doença por acidente de trabalho, aposentadorias por invalidez acidentária, pensões por morte acidentária e auxílios-acidente aos trabalhadores brasileiros. ”Não há dinheiro que compense uma limitação física causada, muitas vezes, por um simples esquecimento do uso do capacete de proteção. É preciso que cada um cuide da obra de sua vida”, alertou Pedro Rosas.

A mensagem tocou o servente João Batista Bento da Silva, 36 anos. Há oito trabalhando na construção civil ele ainda não havia acompanhado uma ação como essa. “Foi a primeira vez que a gente recebeu tantas palavras de incentivo como amor aos filhos, carinho, educação…..Gostei muito do que ouvi”, disse emocionado. 

A ação, feita em parceria com a Associação Nacional de Engenharia de Segurança do Trabalho, contou com a presença do presidente da ANEST, Benvenuto Gonçalves Júnior, dos diretores do Crea-RN, Abias Vale e Estanislau Moreira e aconteceu na véspera do dia 28 de abril, Dia Mundial da Segurança e da Saúde no Trabalho, e Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho. A data busca advertir sobre os perigos que um local de trabalho pode proporcionar ao trabalhador. “Existe muita desinformação. O Crea-RN priorizou trazer o tema para dentro do local de trabalho na tentativa de mostrar aos colaboradores a importância que cada um tem nesse processo”, disse Ana Adalgisa Dias, presidente do Crea-RN. 

Desde de 2017 o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia no Rio Grande do Norte intensificou a fiscalização nas empresas e obras. Em um ano foram feitas 187 visitas para verificar a aplicação de programas, como o de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e o Programa de Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção. Também foi registrado, no mesmo período, um acréscimo de 25% na emissão no número de ART’s (Anotação de Responsabilidade Técnica) na área de segurança do trabalho o que demonstra a presença de um profissional especializado e devidamente registrado em obras e empresas.

Informações Adicionais/ Fonte Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho.

Brasil: 4º lugar em acidentes fatais
Até 10 de abril eram os seguintes os números registrados no Brasil com relação a acidentes de trabalho, segundo o site Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho.
Total de Gastos da Previdência com Benefícios Acidentários
27.432.934.606 (27 bi)
Gastos estimados desde 2012 até hoje.
R$ 1,00 gasto a cada 7 minutos.
No período 2012-2017 foram gastos R$ 26.235.501.489 com benefícios acidentários (auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, pensão por morte e auxílio-acidente – sequelas).

Dias de Trabalho Perdidos com Afastamentos Previdenciários
319.234.311
Dias perdidos estimados desde 2012 até hoje
305.299.902 dias foram perdidos no período 2012-2017.

Acidentômetro (CATs)
4.056.833
Acidentes estimados desde 2012 até hoje.
1 acidente estimado a cada 48s.
3.879.755 CATs foram registradas no período de 2012-2017.

Mortes Acidentárias Notificadas
15.083
Mortes em acidentes estimadas desde 2012 até hoje.
1 morte em acidente estimada a cada 3h 38m 43s.
14.412 mortes acidentárias foram notificadas no período 2012-2017. 

A Organização Mundial do Trabalho (OIT) estima que dois milhões de pessoas morrem por ano por conta de doenças ocupacionais no mundo, ou seja, a cada 15 segundos, um trabalhador morre por conta de uma doença relacionada ao trabalho.

Já o número de acidentes fatais no trabalho é de 321 mil/ano. A OIT coloca o país como o quarto colocado no ranking mundial de acidentes fatais no trabalho.

Nos últimos 44 anos, houve mais de 39 milhões e 600 mil acidentes no país, que incapacitaram permanentemente cerca de 592 mil pessoas e vitimaram mais de 161 mil pessoas/ano em média no país.  

 

ANEST e CREA-RN participam da Campanha Abril Verde, alertando a sociedade sobre a importância da prevenção, citando números alarmantes de acidentes do trabalho, no país.
Classificado como:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support