Contratação de trabalhador por intermédio de cooperativa, com objetivo único de locação de mão-de-obra barata, viola a legislação trabalhista. Por unanimidade, assim decidiu a 10ª Câmara do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, em Campinas/SP.

O trabalhador entrou com reclamação trabalhista contra a Cooperativa de Trabalho dos Profissionais em Serviços de Hotelaria, Condomínio e Lazer – Coopcamp e contra a Associação Melhoramentos Champs Privés. Afirmou o autor que a prestação de serviços para a segunda empresa por intermédio da cooperativa tinha por objetivo camuflar e desvirtuar a legislação trabalhista. Diante disso, requereu que fosse reconhecido o vínculo empregatício com a tomadora dos serviços, com o devido registro do contrato na sua Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS).

Não satisfeito com a sentença proferida pela Vara do Trabalho de Campo Limpo Paulista, que julgou improcedente a ação, o trabalhador protocolou recurso ordinário junto ao TRT. Os autos do processo foram distribuídos à Juíza relatora Elency Pereira Neves.

A Magistrada constatou que o empregado foi contratado pela Cooperativa, na condição de cooperado, para prestar serviços nas dependências da Associação Melhoramentos. A questão da contratação de empregados por intermédio de cooperativas é corriqueira na Justiça do Trabalho, especialmente nesta Região. Uma real cooperativa pressupõe uma “obra em comum e não trabalho sob a dependência de outro”, fundamentou a julgadora, amparada nas palavras do Professor Márcio Túlio Vianna.

Segundo a Lei 5.764/71, a finalidade da cooperativa é prestar serviços aos associados em regime de reciprocidade. Trata-se de uma organização social destinada à obtenção de vantagens alcançadas pelo empreendimento comum. O cooperado tem de ser associado e beneficiário, já que as cooperativas são também formadas para prestar serviços aos associados e não somente para colocar os operários “autônomos” à disposição das empresas contratantes, esclareceu a Juíza Elency.

Entretanto, na ação ajuizada pelo trabalhador, ficou constatada a atuação não idônea das empresas. A finalidade da cooperativa e da tomadora dos serviços era a locação de mão-de-obra de uma maneira que barateasse os custos. A prova oral produzida demonstrou que a relação de trabalho cooperativado era um desrespeito aos direitos sociais do trabalhador, embora toda a documentação estivesse preenchida e assinada pelas partes. A atitude das empresas impediu a oportunidade de registro direto com a Associação Melhoramentos Champs Privés, além de ganho salarial superior ao oferecido. Na verdade, o empregado recebia ordens do próprio responsável pela cooperativa. Havia, ainda, sujeição a horário, controle de ponto e às ordens dadas como se empregado fosse, além da atividade não ser eventual, constatou a relatora.

Ficou, assim, comprovada a atuação ilegal da cooperativa que, na verdade, exercia os serviços essenciais da Associação Melhoramentos, contratante dos serviços de mão-de-obra. A intermediação da mão-de-obra foi ilegal e distante dos objetivos verdadeiros visados pelo espírito cooperativo. Somente a aparência não é capaz de afastar a relação empregatícia; assim, é nula a contratação, pois desvirtuou a legislação trabalhista, reforçou a Juíza Elency.

Diante disso, foi reconhecido o vínculo empregatício entre o trabalhador e a empresa Associação Melhoramentos Champs Privés, que foi condenada a anotar o contrato na CTPS. Foi também determinado o pagamento das verbas rescisórias do trabalhador e imposta a condenação solidária da Cooperativa. A relatora arbitrou à condenação o valor de R$40 mil. (Processo 00178-2004-105-15-00-0 RO).

Fonte: Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, em 13/05/2005

TRT da 15ª Região (Campinas) condena cooperativa de trabalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support